Sentra muda visual e fica R$ 10 mil mais caro

RODRIGO RIBEIRO
da CARRO, em São Paulo (SP)
20/05/2016 15:14

Seis meses após ter sido lançado nos Estados Unidos, o novo Nissan Sentra chega ao Brasil reestilizado, com novos equipamentos e um aumento de quase R$ 10.000 na tabela. Agora o sedã será oferecido apenas com câmbio automático, em três versões.

Novo Nissan Sentra 2017

Versão Preço Antigo  Preço Novo
Sentra S R$ 69.990 (M/T) R$ 79.990 (CVT)
Sentra SV R$ 76.990 R$ 84.990
Sentra SL R$ 86.290 R$ 95.990

Com estes preços, a versão SL supera até mesmo a antiga Unique, que custava R$ 89.990 e tinha vidros elétricos do tipo "um-toque" para todas as portas - no novo Sentra, a função só é oferecida para o motorista. Ao menos o modelo oferece novos equipamentos em sua versão topo de linha (como demonstra o vídeo acima).

Além do controle de estabilidade de série (antes, só o SV e SL ofereciam o ESC), o Sentra mais caro vem com farol baixo em LED, banco do motorista com ajuste elétrico, sistema de som Bose, alerta de veículo no ponto cego, de tráfego cruzado em manobras em ré, de colisão e de mudança inadvertida de faixa. Infelizmente nenhum dos itens é ativo e apenas avisa da iminência da colisão, como na nova Chevrolet S10.

A Nissan perdeu a oportunidade de oferecer o controlador de velocidade adaptativo com frenagem autônoma, disponível no novo Sentra norte-americano. A versão brasileira, inclusive, tem o radar necessário para o sistema embutido no para-choque frontal, mas aqui ele serve apenas para monitorar o tráfego à frente, sem atuar nos freios.

Sensor de ré tem somente três sensores, que são aparentes

O reajuste também piorou o custo-benefício do Sentra. Além do "básico" para o segmento, a versão S só oferece chave presencial e roda de 17" entre seus principais equipamentos. O ar-condicionado de duas zonas, banco de couro e sistema multimídia com câmera de ré aparecem na intermediária SV, juntos do - acredite- apoio de braço central para o banco traseiro. Novamente os teto solar, airbags laterais e de cortina só equipam o SL, junto dos novos itens supracitados. E os indiscretos sensores de estacionamento continuam bem aparentes e contam com só três sonares, contra quatro da média de mercado.

Volante e manopla do câmbio foram trocados no interior, que foi escurecido

A Nissan não crê que o reajuste médio de 10,8% nas versões SV e SL impacte nas vendas do Sentra, que se firmou como o terceiro sedã médio mais vendido do Brasil, atrás do aparentemente imbatível Corolla e do Civic, que está prestes a mudar.

A expectativa da fabricante é que, sem mudanças mecânicas, o Sentra continue a agradar o público mais conservador, que valoriza o desempenho suave do 2.0 de 140 cv com câmbio automático CVT e suspensão macia. O vasto espaço interno, especialmente para as malas (são 503 litros de volume no compartimento de bagagem) e os passageiros no banco traseiro também atendem ao público corporativo e motoristas profissionais
.