Novo Countryman chega em abril, por R$ 145 mil

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
06/03/2017 16:02
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4
MINI COOPER S E COUNTRYMAN ALL4

A Mini anunciou nesta segunda-feira (6) que passará a importar a nova geração do SUV Countryman ao Brasil em abril, ao preço sugerido de R$ 144.950. O modelo foi lançado no último Salão de Los Angeles, nos Estados Unidos, no ano passado, conforme noticiamos na época. As especificações dos pacotes de equipamentos e quais motores serão trazidos para cá não foram divulgados pela Mini. 

De acordo com a assessoria de imprensa da BMW, proprietária da Mini, a companhia não bateu o martelo sobre a nacionalização do novo Countryman na fábrica de Araquari (SC). O local produzia a geração anterior do SUV, mas devido as condições menos favoráveis de mercado a empresa ainda vai avaliar a possibilidade de montá-lo em terras catarinenses.

Countryman está 20 cm maior em comprimento

MAIOR E HÍBRIDO
Se o conceito Mini já era um pouco forçado para o Countryman quando ele surgiu no mercado, sua segunda geração o distancia ainda mais desta ideia. Isso porque ele ganhou 20 cm em comprimento, três em largura e surpreendentes 7,5 cm em distância entre-eixos, deixando-o com dimensões mais próximas de SUVs compactos "tradicionais", como o Audi Q3, por exemplo. Para se ter uma ideia, o Countryman agora conta com 4,30 m de comprimento e 2,66 m de entre-eixos (no Q3 tais medidas são 4,38 m e 2,60 m, respectivamente).

Não é a toa, portanto, que a Mini diz que o Countryman "cresceu significativamente em espaço", bem como em capacidade volumétrica do bagageiro, com 220 litros adicionais (totalizando em bons 450 litros de porta-malas, ou 1.309 litros, com os bancos reclinados). 

Em termos visuais, a Mini também decidiu atribuir um aspecto mais convencional de SUV ao modelo. Sua silhueta condiz mais com um veículo deste segmento e o design ganhou ângulos mais pontiagudos, abandonando o semblante amigável arredondado de antes em virtude de um visual mais maduro. 

Interior segue o padrão de estilo e acabamento da Mini

Internamente, o Countryman segue o padrão adotado nos outros modelos da Mini, bem parecido com a geração anterior, repleto de botões por todos os lados e uma central multimídia de 8'' ao centro, cercada por uma iluminação de LED.

Como o SUV é feito sobre a plataforma UKL2 do Grupo BMW (que dá origem a outros Mini e ao BMW Série 2 Active Tourer, por exemplo), o Countryman é beneficiado pela possibilidade de obter um trem de força híbrido. E é exatamente o caso da inédita versão Mini Cooper S E Countryman ALL4 impulsionada por um conjunto formado pelo motor 1.5 tricilíndrico turbo de 136 cv (tracionando as rodas da frente) e um motor elétrico de 88 cv (rodando o eixo traseiro), resultando numa potência combinada de 224 cv e 39,2 kgfm de torque. 

Versão híbrida é pouco provável de vir ao Brasil

O sistema é híbrido plug-in, o que permite ao SUV rodar 40 km em modo puramente elétrico ou atingir velocidade máxima de 125 km/h impulsionado apenas pela eletricidade. 

Obviamente, o Mini Countryman também terá opções convencionais de motores, como o 1.5 tricilíndrico turbo de 136 cv, o 2.0 turbo de 192 cv e, futuramente, o 2.0 turbo de 231 cv para a versão mais esportiva JCW. Ainda há alternativas a diesel para mercados como os Estados Unidos.