Família Sandero: novidades sob o capô e no visual

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
29/09/2016 15:04

Em meio aos esportivos e utilitários luxuosos, algumas novidades apresentadas no Salão de Paris a partir desta quinta-feira (29) não tiveram tanta atenção da imprensa estrangeira, mas são de muito interesse aos brasileiros. Um dos destaques foram os lançamentos da Dacia, fabricante romena que faz parte do grupo Renault-Nissan e que, em nosso país, fornece praticamente toda a gama da Renault.

Novos Logan, Sandero e Stepway passaram por uma discreta reestilização visual
A empresa mostrou no evento os novos Logan e Sandero reestilizados. A dupla de compactos, fabricada e vendida no Brasil como modelos da Renault, ganhou novos parachoques, faróis, grades, lanternas e interior reformulados, além de um novo motor 1.0 de três cilindros e 75 cv.

Traseira da família manteve traços, mas lanternas são novas
Os faróis com luzes diurnas em LEDs e as lanternas com elementos internos reposicionados dão uma pista de como poderá ser a próxima reestilização da versão brasileira da dupla. O motor de três cilindros também equipará os modelos por aqui, conforme antecipado pelo site Autos Segredos. O 1.0 tricilíndrico substituirá o motor de quatro cilindros e 16V e poderá passar dos 80 cv em sua versão flex.

Cabines misturam elementos já conhecidos a inéditos, como o volante
O interior também foi reformulado e mistura elementos já presentes nos modelos brasileiros e outros itens inéditos. O painel central com plástico em preto brilhante é similar ao usado pela Renault no Brasil, mas com saídas de ar circulares, mais simples. E só agora a Dacia reposicionou os comandos dos vidros elétricos para as portas, atualização feita por aqui há seis anos. O volante, porém, é inédito e possui visual mais moderno do que a peça usada no Brasil

Duster Robotizado

Modelo europeu, da Dacia, recebeu uma discreta reestilização

Junto dos compactos, a fabricante francesa também mostrou no salão o novo Dacia Duster (versão europeia do SUV homônimo fabricado no Brasil). O SUV compactou passou a oferecer, na Europa, um inédito câmbio robotizado de dupla embreagem e seis marchas. O sistema é mais eficiente e econômico do que a caixa automática convencional de quatro marchas oferecida no modelo brasileiro.

Painel é idêntico ao do brasileiro, mas Dacia não oferece ar digital
Com a novidade, as diferenças tecnológicas entre o Duster europeu e o brasileiro aumentam. Apesar de ser um modelo mais barato no velho continente, o Dacia Duster oferece itens como Start-Stop, indicador de pressão dos pneus, airbags laterais e controle de tração e estabilidade com assistente de partida em rampa, que não são oferecidos no Brasil nem como opcionais.

A única contrapartida do modelo feito em São José dos Pinhais (PR) está na gama mais forte de motores. Por aqui o SUV é oferecido com duas opções flex, 1.6 e 2.0, de até 142 cv. Ambas as opções superam o 1.2 a gasolina de 125 cv e o 1.5 turbodiesel vendidos na Europa.

Como no Brasil, Duster europeu oferece tração 4x2 ou 4x4