Teste: Grand Cherokee diesel

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
13/05/2014 07:00

Jeep Grand Cherokee Diesel

Ele pode não ter a fama que conquistou na década de 1990, quando era a escolha de nove em cada dez jogadores de futebol, mas o Jeep Grand Cherokee soube aproveitar a época em que o mercado de importados se firmava no Brasil. Com seu porte robusto e um generoso motor V8, ele logo se tornou referência de SUV e se tornou um sonho de consumo.

Com seu visual marcante, em especial graças à tradicional grade dianteira da Jeep, o Grand Cherokee ainda se impõe nas ruas. Sua versão Limited Diesel avaliada aqui tem vários motivos para ser considerada a mais interessante da gama.

O câmbio de 8 marchas é o parceiro ideal para o competente 3.0 V6 que figura sob o capô do modelo. A dupla confere ótimo compromisso entre desempenho, consumo e autonomia para o Grand Cherokee. Com 93 l de capacidade, o tanque de combustível invejável do Grand Cherokee ajuda você a percorrer quase 1.000 km entre cada abastecimento.

Jeep Grand Cherokee Diesel

A única crítica deste conjunto mecânico fica para o ruído, uma característica dos propulsores a diesel. No que diz respeito a vibrações, contudo, o V6 é impecável. Motorista e passageiros não se sentirão incomodados por ele.

Considerando que ele pesa 2.393 kg, o fato deste Grand Cherokee conseguir acelerar de 0 a 100 km/h em 8s7 e retomar de 60 a 120 km/h em 9s7 é louvável. Um aspecto interessante do Grand Cherokee atual é que ele está com uma dinâmica bem mais apurada.

Claro que a altura em relação ao solo considerável (21,8 cm) e seus quase 5 m de comprimento deixam claro que ele não tem nenhuma pretensão esportiva, mas seu conjunto de suspensão (independente na dianteira e na traseira) e as rodas aro 20” presentes na versão Limited trabalham muito bem.

Interior Honesto: o plástico usado na cabine do Grand Cherokee poderia ser mais nobre; destaque para o velocímetro digital e o câmbio joystick

O veículo permanece firme nas curvas, a tração integral evita patinagens indesejadas de um dos eixos e irregularidades do piso são amortecidas com competência. É nítido que o Grand Cherokee evoluiu muito com o decorrer dos anos. E, como não poderia ser diferente em uma marca que virou sinônimo de veículos off-road, a tração integral traz uma série de recursos para você não fazer feio quando sair do asfalto.

A capacidade de carga pode ser ampliada para 1.554 l

Fácil de operar, o Select-Terrain conta com cinco programas que ajustam motor, câmbio e freio de acordo com o tipo de piso, tendo como opções Sand (areia), Mud (lama), Snow (neve) e Rock (pedra). Se você não quer ter trabalho nenhum, pode também deixar o seletor rotativo na opção Auto que o sistema faz tudo sozinho, e você desfruta de uma boa trilha com o conforto do ar-condicionado. Como não poderia faltar, ele também conta com reduzida (4WD Low).

O 3.0 V6 diesel agrada: bom desempenho e consumo moderado

Na cabine, os bancos envolventes e com regulagem elétrica contam com revestimento de couro de boa qualidade. O nível geral do acabamento também agrada — contudo os plásticos poderiam ter melhor aspecto visual —, assim como a lista de equipamentos, com GPS, faróis bixenônio, câmera de ré e um competente sistema de som com 506 W. Se você já era fã do Grand Cherokee, com certeza vai se surpreender com ele, em especial com o câmbio de 8 marchas. A opção a diesel desponta como a melhor escolha e, apesar de caro, seu preço até que chega a ser competitivo frente aos rivais.

O motor a diesel é oferecido somente na opção topo de linha Limited

Média final: 7,8

O Jeep Grand Cherokee é um modelo que evoluiu bem ao longo dos anos e é uma ótima opção para quem procura um SUV a diesel de grande porte. Mas assim como seus concorrentes diretos, entre os quais o Land Rover Discovery, seu preço é muito alto. Prepare-se também para arcar com custos de peças e manutenção mais elevados do que a média. Em relação ao Discovery, o Grand Cherokee Limited a diesel só deve uma opção 7 lugares. Se você não faz questão dos dois bancos extras, vale a pena optar por este Jeep. Seu motor é moderno e eficiente, assim como o ótimo câmbio automático de 8 marchas. - César Tizo

Confira os números de teste clicando na versão abaixo:

Versões Relacionadas