Teste: Audi RS Q3

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
29/08/2014 10:07

Em relação às demais versões do SUV, a suspensão do Audi RS Q3  é rebaixada em 25 mm e conta com acerto esportivo

Em 2012, logo que o Audi Q3 chegou ao Brasil, aproveitamos para realizar uma reportagem especial com ele, além de MINI Countryman, Range Rover Evoque e VW Tiguan. Na época, o recém-lançado SUV da Audi ficou em primeiro lugar na avaliação e conquistou vários elogios da equipe. Recentemente, como você conferiu na CARRO de junho, o Q3 também venceu o comparativo entre Mercedes-Benz GLA, BMW X1 e, novamente, o MINI Countryman, mostrando como ele é competitivo.

Agora imagine acrescentar à receita do Q3 o motor que foi eleito por cinco vezes o melhor do mundo em sua categoria? A ideia mostrou-se tão boa que coube a ele a primazia de inaugurar a grife RS — reservada aos produtos mais esportivos da Audi — dentro da gama de SUVs.

Audi RS Q3

E que veículo interessante é o RS Q3! Seu pacote concilia espaço interno adequado para quatro adultos, porta-malas suficiente para encarar as bagagens de uma família e, com altura em relação ao solo um pouco maior quando comparada à dos demais membros da confraria RS, ainda oferece mais desenvoltura para lidar com as imperfeições do piso. Algo importante, ainda mais considerando suas belas rodas de 19”.

O RS Q3 é tão hábil para o uso diário que a Audi fez muito bem em equipá-lo com start-stop, recurso que ajuda a poupar alguns bons litros de gasolina no trânsito urbano. As 7 marchas do ágil e bem escalonado câmbio robotizado de dupla embreagem S-tronic também são de grande valia. Mas agora vamos falar do 2.5 turbo.

Moderno e eficiente, o 2.5 turbo já foi eleito cinco vezes o melhor propulsor do mundo em sua categoria

Além do funcionamento equilibrado, seus 5 cilindros produzem uma sonoridade bem interessante. Mais encorpado que um 4 cilindros e com um compasso semelhante ao de um V6, apreciar o 2.5 TFSI trabalhando é cativante para quem gosta de esportivos. Com 310 cv e mais de 40 mkgf de torque, não é difícil entender por que ele é tão aclamado.

Essa faixa de potência, aliás, parece ser a dose certa para um carro de rua esportivo. O RS Q3 tem reações muito rápidas (basta conferir seus números de teste) e ao mesmo tempo é um carro extremamente controlável. Afinal, sejamos sinceros, fora de um ambiente controlado como uma pista, é praticamente impossível usufruir tudo o que um Audi RS 6 equipado com motor de 560 cv oferece, concorda?

Os discos de freio são perfurados e contam com um inusitado formato  ondulado

Também ajudam na excelente dinâmica do RS Q3 a tração integral quattro e os controles de estabilidade e tração. A sensação é que suas rodas estão ligadas ao chão e somente uma imprudência muito grave será capaz de tirá-lo da trajetória correta. Mérito também para a suspensão, que pequena rolagem apenas nas curvas. Afinal o RS Q3 está  longe de ser um carro apático, muito pelo contrário: tudo nele é intenso.

Por se tratar da versão mais cara, o RS Q3 capricha no acabamento e nos itens de série. Os elementos em Alcantara na cabine, o competente sistema de som Bose com 14 alto-falantes e o teto solar panorâmico fazem parte do menu de luxo a bordo. Vale destacar que a chancela RS traz consigo o controle de largada e um preciso conjunto de freios com discos de 365 mm e pinças com com 8 pistões. O único problema é o preço das pastilhas dianteiras: R$ 5.952 o par!

Versão topo de linha, o RS Q3 conta com materiais nobres na cabine

Mas quer saber de uma coisa? Se você simplesmente quiser passar um fim de semana na praia ou um tempo no campo, é só aproveitar seu porta-malas de 460 l e sair por aí. Agora me diz: pode existir um conjunto mais interessante? No Brasil, pelo menos até o momento, o RS Q3 ainda não tem concorrentes diretos.

Você tem algum preconceito com SUVs? Esqueça! O RS Q3 é a prova de que um utilitário pode, sim, ser muito esportivo. A Audi acertou em tudo no modelo, desde a escolha do motor até a suspensão. Por tudo o que entrega em termos de desempenho, equipamentos e acabamento, não é exagero dizer que o RS Q3 oferece bom custo-benefício, até porque não existe outro modelo no mercado que ofereça características semelhantes na mesma faixa de preço. O primeiro SUV da Audi a levar a sigla RS é uma excelente opção.

O porta-malas de 460 l não merece críticas

Conclusão: Você tem algum preconceito com SUVs? Esqueça! O RS Q3 é a prova de que um utilitário pode, sim, ser muito esportivo. A Audi acertou em tudo no modelo, desde a escolha do motor até a suspensão. Por tudo o que entrega em termos de desempenho, equipamentos e acabamento, não é exagero dizer que o RS Q3 oferece bom custo-benefício, até porque não existe outro modelo no mercado que ofereça características semelhantes na mesma faixa de preço. O primeiro SUV da Audi a levar a sigla RS é uma excelente opção.

Média final técnica: 8,7

Média final de mercado: 6,2