Surpreendente, Suzuki Vitara volta em boa hora


18/10/2016 11:10
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA
SUZUKI VITARA

Mesmo com a queda bruta do mercado brasileiro nos últimos dois anos, as montadoras seguem acreditando na recuperação e os lançamentos não param. A novidade da vez é o Vitara, da Suzuki, SUV que está de volta depois de oito anos sem ser vendido no Brasil.

A quarta geração do SUV chega em um momento importante, já que o segmento de SUVs compactos é um dos mais concorridos atualmente. Sob o capô, o novo Vitara traz motor 1.4 turbo de 146 cv e 23,5 kgfm, aliado a um câmbio automático de seis velocidades. Esta versão começou a ser produzida no final de setembro, na Hungria, e começará a ser vendida no Brasil após o Salão do Automóvel, em novembro.

No uso diário, o comportamento do Vitara é muito bom, entregando agilidade no trânsito e facilidade para atingir os limites permitidos. Isso acontece pois o motor alcança o pico de torque já em 1.700 rpm, fazendo com que ele tenha força de sobra mesmo em velocidades mais baixas.

A direção elétrica é leve e precisa, facilitando na hora das balizas e sendo confortável para o dia-a-dia. A calibração da suspensão também é interessante para o uso diário, já que o interior não é muito afetado quando caímos em algum burraco, além de ter boa distância do solo e superar tranquilamente as lombadas e valetas.

Na dianteira, a Suzuki aposta na simplicidade e robustez

Em rodovias, o comportamento dele é diferente. Esta mesma calibração da suspensão faz com que ele tenha pouca rolagem de carroceria em curvas sinuosas, transmitindo mais estabilidade e precisão para o contorno, porém, curiosamente, em velocidades mais altas, sua capacidade de absorção de impactos deixa um pouco a desejar. Por exemplo, ao passar por junções do asfalto na estrada, a carroceria tende a oscilar.

Com uma relação de peso/potência de 8 kg/cv, a aceleração do Vitara é ótima. Em nossos testes, o novo Vitara levou 8s17 para acelerar de 0 a 100 km/h e 8s02 para uma retomada de 60 km/h a 120 km/h, comprovando a rapidez e força do motor e, de quebra, instaurando um novo paradigma de desempenho para o segmento.

O desenho das lanternas é um pouco mais ousado

A transmissão automática de seis velocidades tem ótimo casamento com o motor e oferece trocas suaves e precisas, sendo que na versão 4Sport é possível realizar as mudanças pelas borboletas, que também entregam rapidez e precisão, independentemente da velocidade.

Por estar fora do mercado há 8 oito anos, o visual do Vitara anda um pouco esquecido. Como característica da marca, ele traz linhas mais conservadoras, apostando na simplicidade e robustez de um SUV, deixando de lado os vincos agressivos na dianteira, muito usados em alguns modelos do segmento (como os rivais orientais).

O interior é bem acabado, mas o painel poderia ser emborrachado

Por exemplo, para-choque, faróis e capô, trazem linhas mais retilíneas, que passam mais robustez do que modernidade. Porém, ele também exibe elementos contemporâneos, como grade frontal cromada (exclusiva da versão 4Sport), lanternas estilizadas e colunas e teto escurecidos (tendência automotiva atual).

Internamente o carro também é todo novo, sendo que o grande destaque é nova central multimídia, com tela sensível ao toque de 10'' e capacidade para espelhar smartphones. A posição de dirigir também é boa, sendo que o posicionamento dos botões facilita o acesso do motorista enquanto dirige. A montagem do painel e lateral das portas é boa e a qualidade aparente dos materiais usados também. Mas em um carro que será vendido por R$ 107.990,00, o acabamento poderia ser todo macio ao toque.

Kit multimídia tem tela de 10 polegadas e conexão Wi-Fi

Por mais que o momento do mercado brasileiro não seja dos melhores, as montadoras demonstram que estão pensando no longo prazo e a Suzuki comprova isto com volta do Suzuki Vitara ao Brasil, depois de 8 anos sem ser vendido por aqui. Com preço competitivo, o retorno ocorre na hora certa, já que o segmento que ele participa está em alta, sendo um dos mais procurados pelos consumidores. O Vitara também tem um diferencial: ser o único da categoria dos SUVs compactos a oferecer motor turbo a gasolina aliado a um câmbio automáttico. 

MAIS VERSÕES E MOTORES
Além da versão 4Sport, que será vendida com motor 1.4 turbo, a Suzuki terá mais cinco opções para o consumidor brasileiro, sendo quatro com motor 1.6 aspirado de 126 cv e 16,7 kgfm: 4All MT, 4All AT, 4You AT, 4You AT Allgrip (tração 4x4). A última versão é a 4Sport Allgrip 1.4 turbo, que será topo de linha e traz como grande diferencial a tração 4x4, com os equipamentos como sete airbags, direção elétrica, assistende de partida em descidas e subidas, kit multimídia com tela de 10 polegadas e conexão Wi-Fi, abertura das portas com chave presencial, partida por botão, entre outros itens.

Esta é a versão de entrada com grade diferenciada

A grande diferença entre as versões é o visual da dianteira, já que a da 4Sport é cromada e com formato vertical, sendo exclusiva, enquanto nas versões 4All e 4You a grade terá desenho horizontal e cor diferente.

O número de versões que a Suzuki oferecerá no mercado nacional demonstra a confiança da marca no segmento que está caminhando contra a crise e o interesse que a marca tem no mercado nacional.

Dados de fábrica do novo Suzuki Vitara 1.4 turbo

Porém, mesmo sendo agressiva no número de versões, a Suzuki espera que seus 47 pontos de revenda consigam comercializar apenas 400 unidades por mês.

Testes realizados na pista da ZF-TRW, em Limeira (SP)

CONCLUSÃO
Por mais que o momento do mercado brasileiro não seja dos melhores, as fabricantes demonstram que têm estratégias de longo prazo e a Suzuki comprova isso com a volta do Vitara ao mercado. Com preço competitivo, o retorno ocorre na hora certa, já que o segmento do qual esse modelo participa está em alta. Além disso, o novo SUV conta com um atrativo: ele foi o primeiro da categoria a oferecer motor turbo a gasolina aliado ao câmbio automático. O resultado mostrou-se muito interessante e tem tudo para agradar.