Ford lança Ka Trail por R$ 47.690

RODRIGO RIBEIRO
De São Paulo (SP)
28/03/2017 10:08

Há quase dez anos, a Ford, com o perdão do trocadilho, se aventurava no segmento de compactos “off-road light”. Apliques plásticos e interior exclusivo conferiam ao Fiesta Trail um apelo aventureiro sem adicionar qualquer atributo de SUV ao hatch. 

Ford Ka Trail terá opções com motor 1.0 e 1.5

O modelo não foi exatamente um sucesso de vendas, o que não impediu a marca de ressuscitar a estratégia com outro compacto. Mas agora, apesar da denominação similar, o Ka Trail exibe mais inspiração dos utilitários esportivos.

Além do pacote básico – adesivos, adereços plásticos e rack no teto –, o modelo ganhou suspensão elevada e pneus de uso misto. A nova versão utiliza como base a configuração SE e traz o mesmo acabamento com motor 1.0 (R$ 47.690) ou com 1.5 (R$ 51.990), mais farol de neblina.

Personalização off-road inclui pneus de uso misto

No preço estão incluídos travas e vidros elétricos dianteiros, direção com assistência elétrica, rádio com CD player, MP3 e Bluetooth, rodas de liga leve de 14” e ar-condicionado. O único opcional é a cor cinza metálica, por R$ 1.300. O controle de estabilidade, item raro no segmento e oferecido nas versões topo de linha do Ka, ficou de fora por questões de custo.

“Quisemos oferecer um aventureiro urbano por um preço acessível”, disse Fernando Pfeiffer, gerente de marketing da Ford. Por isso, a fabricante espera que a maior parte das vendas do Ka Trail seja com motor 1.0, como a avaliada aqui.

Interior não da versão aventureira não difere das outras

GORDINHO DE SAPATO NOVO
Apesar de não ter passado por modificações como as do Honda WR-V, por exemplo, o Ka Trail também teve sua suspensão reprojetada, com molas e amortecedores de maior curso e recalibrados, o que resultou em um carro 3,1 cm mais alto em relação ao solo e 26 kg mais pesado.

Outra diferença está nos pneus, mais estreitos que os usados nas versões SEL. Segundo a Ford, a opção pelo Pirelli Scorpion 185/65 foi técnica, pois pneus de uso misto mais largos exigiriam mudanças nas caixas de roda.

Motor 1.0 tricilíndrico rende 85 cv de potência

Como não houve alterações no diferencial e no câmbio, o Ka Trail ficou mais lento e seu consumo piorou, assim como as frenagens, em relação ao SEL. No uso diário, a perda de agilidade não é tão perceptível, mas a maior altura ajuda na hora de superar valetas e lombadas.

Na ponta do lápis, o modelo entrega um desempenho inferior ao das demais versões do compacto e ainda fica devendo itens de segurança. Esse Ka é mais Trail do que o Fiesta, mas ainda está longe de ser um aventureiro.

Fica técnica e medições realizadas na pista da ZF-TRW em São Paulo